E se o Brasil resolvesse construir a Estrela da Morte?

Devaneios de fim de ano…

Ainda aproveitando o momento “Star Wars, lembrei de duas notícias curiosas que vi na Revista Galileu, acerca da Estrela da Morte (a super estação espacial bélica construída pelo Império Galáctico, e elemento significativo para toda a saga).

A primeira notícia era sobre um levantamento, feito por economistas, do custo para se construir a poderosa arma do Império (link). Segundo a estimativa, somente a estrutura em aço custaria mais de  US$ 850 quadrilhões de dólares (com 16 zeros).

A outra noticia diz respeito a uma petição encaminhada para a Casa Branca com mais de 25 mil assinaturas, solicitando a construção de uma Estrela da Morte (link). Pelo número de assinaturas a Casa Branca, através de seu Departamento de Ciência e Espaço, precisou responder a petição esclarecendo, entre outras coisas, que não  não apoia a explosão de planetas.

Bem, já que os Estados Unidos não se interessaram pelo projeto, me veio a seguinte pergunta: E se o Brasil resolvesse construir a Estrela da Morte? Vamos lá com algumas reflexões.

– Pelo vultuosidade da obra, e obviamente seu custo, seria necessária uma Concorrência nos termos da Lei 8.666/93 (modalidade obrigatória para obras e serviços de engenharia estimados no valor acima de R$ 1.500.000,00). Aliás… se esse valor já está defasado para gastos públicos terrenos, imagina para os espaciais.

– Quanto à adequação a Lei 8.666/93, ok! Mas… e o dinheiro para construir a poderosa arma? O orçamento de 2017 do Ministério da Defesa foi de 94 bilhões, sendo 73% dele com pessoal. Podia até pensar no PIB do Brasil, mas a verdade é:  Os US$ 850 quadrilhões de dólares (só da estrutura em aço) equivalem a 13 mil vezes o PIB do PLANETA!

– Difícil, né? Mas sabe como é no Brasil, a gente vai tentando achar alternativas (vide a Copa e Olimpíada, e seus “legados”). Quem sabe utilizar o RDC (regime diferenciado de contratações públicas)? Ou uma PPP (Parceria público-privada)? Ambos utilizado nos eventos de 2014 e 2016. Mas, mesmo assim, difícil (para não dizer impossível) encontrar parceiros no nosso planeta que tenham lastro para embarcar com o Brasil nessa (SpaceX / Elon Musk?).

Ao final, a melhor consideração para a não construção da Estrela da Morte (“supondo” que fosse possível), foi dada pela própria Casa Branca: A responsabilidade com o gasto público. Segundo o comunicado: “a preocupação do governo é reduzir o déficit e não expandi-lo”. Vamos evoluir, Brasil!

É isso! Que a Força esteja com vocês!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s